Resumão

Foi um atropelo. Em sete minutos, na largada do segundo tempo, o Bahia nocauteou o Santos, fez três gols e garantiu a vitória na primeira rodada do Campeonato Brasileiro, neste sábado, no estádio Pituaçu, em Salvador. Thaciano, com dois gols em duas assistências de Rossi, abriu o placar. Juninho completou – em um golpe duro para o Peixe, vindo de eliminação na fase de grupos tanto no Campeonato Paulista quanto na Libertadores da América.

Na tabela

O Bahia larga bem, soma os três primeiros pontos e fatalmente terminará a primeira rodada entre os líderes do Brasileirão – fica no aguardo do complemento dos jogos, neste domingo. O Santos vive o oposto: deve fechar a rodada inicial entre os piores.

Próximos jogos

As duas equipes voltam a campo pelo Brasileirão no próximo sábado. O Santos recebe o Ceará às 19h, e o Bahia visita o Bragantino às 21h. Antes, o Tricolor vai a Goiânia enfrentar o Vila Nova, às 16h30 de terça, e o Santos encara o Cianorte-PR fora de casa no mesmo dia, às 19h, ambos pelo jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil.

Primeiro tempo

O Bahia começou melhor, colocou o time no ataque e criou chances nos minutos iniciais da partida. Rodriguinho teve chute interceptado, Thaciano finalizou para fora, Gilberto cabeceou desequilibrado. Com o tempo, o Santos foi se soltando. Com mais posse de bola, passou a cercar a área adversária, mesmo que a defesa tricolor se sobressaísse – como ao cortar boa chegada de Lucas Braga e ao bloquear chute de Marinho. O controle das ações não resultou em chances de gol para o Peixe – e o jogo ficou sonolento. Aos 35, Jean Mota quebrou o tédio ao pegar rebote fora da área (depois de o goleiro Mateus Claus espalmar cruzamento de Pará) e bater com perigo. O Bahia tentou reagir com escapadas de Rossi pela direita, mas sem sucesso. Aos 40, Rodriguinho teve a melhor chance: recebeu às costas da zaga, livre, desviou do goleiro e mandou para fora. A arbitragem marcou impedimento depois da finalização, mas o meia estava em posição legal – se a bola tivesse entrado, o VAR confirmaria o gol. Aos 45, Marinho respondeu à altura. Chutou forte, de dentro da área, e forçou o goleiro Mateus Claus a fazer grande defesa.

Segundo tempo

O Bahia desmontou o Santos na largada do segundo tempo. Em sete minutos, vencia por 3 a 0, com o Santos desnorteado. Os dois primeiros gols foram muito parecidos, com Rossi cruzando da direita para Thaciano completar dentro da área – a diferença é que o primeiro surgiu em erro de Pará na saída de bola. Aos sete, saiu mais um, em cabeceio de Juninho após cruzamento de Renan Guedes. Passado o atropelo, o Santos até conseguiu se reencontrar e ensaiou uma ou outra jogada de ataque, mas incapaz de mudar o cenário da partida. O Bahia se defendeu com segurança, à espreita de aproveitar contra-ataques. Fernando Diniz tentou melhorar o time com as entradas de Madson e do estreante Marcos Guilherme nos lugares de Pará e Kaiky. Foi inútil, assim como as entradas posteriores de Marcos Leonardo e Ângelo. O Bahia manteve o jogo sob controle até o fim.

Em nome da mãe

O zagueiro Juninho marcou o terceiro gol da vitória do Bahia neste sábado. Para ele, foi uma espécie de alívio em tempos de dor. Há uma semana, o jogador perdeu a mãe, Fátima Nazário Siqueira, vitimada pela Covid-19.

Impedido?

Aos 40 minutos do primeiro tempo, Rodriguinho recebeu às costas da zaga do Santos e bateu colocado, para fora. Era a melhor chance da partida (que ainda estava 0 a 0) até aquele momento. A arbitragem, depois da finalização, anotou impedimento, mas o jogador estava em posição legal. Se a bola tivesse entrado, o VAR precisaria corrigir.

E este, impedido?

O terceiro gol do Bahia, marcado por Juninho, também gerou dúvidas. Pela imagem congelada, o zagueiro parece adiantado. O VAR confirmou o gol, mas não foi divulgada a imagem utilizada para a decisão.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?